domingo, 20 de outubro de 2013

Hard Training

Entrei na Alpargatas há mais ou menos 3 anos e meio para trabalhar inicialmente com Topper, mas o destino me levou para a Mizuno. Dentre outras categorias menores, seu core é o running. Já trabalhei com TV, fotografia, brinquedos, mas confesso que trabalhar com esportes é uma das minhas principais realizações. Não que eu fosse super ligada e mega esportista, mas o tesão do esporte que as pessoas tem, a superação e dedicação que ele inspira é o meu maior orgulho.

Diariamente tenho contato com atletas profissionais ou não, treinadores, jornalistas e todos com um denominador comum: a paixão pela corrida.

Sempre gostei demais de exercitar mais o cérebro do que o corpo e, quando entrei na Alpa estava me dedicando bastante à Pós em Semiótica, o que não me permitiu abrir um espacinho na agenda para começar a correr.

Sinceramente, tentei inúmeras vezes na academia (aqui), parque (aqui) e afins mas nunca peguei o gosto pela coisa. Me animei demais da conta com o projeto Mizuno Challenge em parceria com a Runner's Brasil no ano passado, no qual me envolvi com a história de 9 anônimos e sua dedicação para correr em Amsterdam. Sim, estava lá e, ao entrar naquele estádio com os 5 arcos olímpicos na fachada, me deu um frio na barriga. Gostaria de ter treinado o ano inteiro para estar ali posicionada com o número de peito e o chip no pé. Não foi desta vez.

Este ano consegui completar uma prova inteira correndo, a WRun, que foi um marco na minha curta carreira como corredora.
Há exatos dois meses, surgiu a confirmação de eu ir para o Japão acompanhar a visita de uma jornalista querida à matriz da Mizuno. No dia da confirmação, liguei para o meu querido treinador e inspirador, Zeca para me treinar a correr os 8.8Km do Challenge Run na Maratona de Osaka

Até antes das minhas férias em maio estava super no pique da bike, andando todo fim de semana, sem contar as idas ao treino de pilates. Pós viagem, virei um urso daqueles bem preguiçosos e parei tudo para depois voltar com força total.



Sim, lá estava eu acordando às 6h da manhã toda santa terça e quarta-feira para treinar, com chuva, sol, tempestade ou granizo. No começo, aquele corre-anda-corre, até que finalmente tirei a caminhada da minha vida.



O feito foi meu presente de aniversário, foram exatos 6.3Km, que depois virou 7Km na corrida da Rolling Stone e depois os 9Km no treino desta semana.


Evoluí tão rápido e fiquei tão orgulhosa de mim que, desde que coloquei o pé nesta empresa, nunca imaginei que fosse capaz de engrenar de tal forma.

O legal é que cruzei a linha do esforço para o prazer, a endorfina na veia depois do treino, a mente focada na corrida para não desistir, enquanto as pernas correm no modo automático. 

Que terminarei Osaka sem andar, é fato. Mal consigo me aguentar de tanta emoção que sentirei ao largar e cruzar aquela linha de chegada escrita em japonês.

Disse outro dia brincando (toda brincadeira tem um fundo de verdade): "nóis enverga, mais não quebra!".

Mais um desafio será vencido em breve. Que venham os próximos. 





Mizuno Wave Prime 9 - Osaka Marathon Limited Edition - escolhido a dedo para a prova!


Nenhum comentário:

Postar um comentário