sexta-feira, 24 de agosto de 2012

no divã

Ontem assisti uma palestra interessantíssima do Ricardo Guimarães, dono da Thymus Branding. Além de ter descoberto o porquê do nome da consultoria, entre outras reflexões sobre marca, descobri que, fazer branding é praticamente uma terapia organizacional.

A marca chega com seus problemas de identidade, em fase de mudanças e com mil dúvidas e desafios no novo cenário, enquanto a consultoria cumpre o papel de fazer as perguntas certas para que a própria marca diga as respostas.

Interessante adentrar um pouco mais nas metodologias das consultorias.
Para eles, marca é um jeito de pensar, de decidir, de tangibilizar o intangível. Ou, nas próprias palavras de Ricardo Guimarães, marca é um nome ao qual as pessoas relacionam competências, atitudes e valores, que alimentam as expectativas de entregas futuras e que são materializadas por experiência proporcionadas por uma cultura (cultura = artefatos que deduzem valores).

A Thymus enxerga a empresa como se fosse um indivíduo dentro de um ecossistema. Seu insight é a inspiração, algo como "colocar uns óculos que você começa a ver o que você não enxergava antes".

Dentre outros aprendizados que rapidamente registrei em meu fiel caderninho algo me intrigou: seu idealizador se demonstrou ser avesso ao marketing e, ao responder a pergunta do perfil de funcionário que permeia dentre sua equipe de 15 pessoas, ele comentou que tem pessoas de diversas áreas, menos propaganda e marketing.

Infelizmente esta pergunta terei que deixar para uma próxima.



Anotações e interpretações da palestra



Nenhum comentário:

Postar um comentário