quarta-feira, 25 de maio de 2011

Liberdade de Expressão

Desde o santo dia que eu criei este Blog fico pensando de que maneira que tornaria estes meus divagantes pensamentos em algo comercial.
Como tenho objetivo de um dia viver das minhas idéias escritas, pensei que este espaço serviria além de um ensaio, um portfólio.
Aquilo que inicialmente seria um rascunho para eu desenferrujar do meu jejum jornalista, transcendeu e se tornou algo especial e maior até do que eu esperava.
Muitas vezes, a inspiração vem lá de dentro e, quando percebo, o post já está publicado. Tem dias que evito passar por aqui, pois idéias me faltam à cabeça. Em compensação, tem outros que passo duas ou três vezes e sempre sai algo interessante.

Ontem na aula "cabeçuda" de psicanálise parei para pensar que, se eu mudar um detalhe que seja desde Blog, estarei indo contra meu eu. Por que negar algo tão bacana que até então não percebia seu real valor?

O mainstream não vive sem o underground, porém o underground não sobrevive sem o mainstream. O que fazer, então?

Sigo em busca inspiração certa, da Big Idea de criar um novo blog, site, jornal, revista ou sei lá o quê, com outro título, outra cara... este outro sim, bem comercial.
Esse aqui não deixa de ser meu companheiro para desabafos, pensamentos, protestos e outras coisas que passam na minha vida diariamente.

Continuarei, então assim. E ponto final.


(e para celebrar esta decisão, meu querido Lacan que me desculpe, mas declaro o óbito da aba "Pitadas de Psicanálise" que não desenvolvi mais que um post e a outra "Semiótica" que ainda estava no forno, acaba de sofrer um aborto prematuro.)

3 comentários:

  1. Mari,

    Eu também penso muito nisso. Por mais que os meus 2 blogs reflitam quem eu sou, tento ser muito mais comedida no Casamento (...) e me permito ser muito mais escrachada no Vaca Malhada.

    Se você tem vontade crie um novo canto para mostrar um outro lado seu! Eu continuarei sendo fã!

    Beijoss

    ResponderExcluir
  2. Mari, se vc não é a Mari que estudou comigo quando era pequena no Mackenzie e que reencontrei no cursinho objetivo há alguns anos, então não sei reconhecer um rosto e peço desculpas pela confusão!
    Mas tenho quase certeza que te encontrei!!!

    Esse nome lhe é familiar: Fernanda Coimbra Sokolowski???

    Seu blog é o máximo!!! Bjs

    ResponderExcluir
  3. Louco não?!?!
    Faça quantos quiser que estarei sempre "te visitando".

    1555 beijos

    ResponderExcluir