terça-feira, 31 de maio de 2011

Saudade

Quer coisa melhor do que sentir saudade? Não aquela saudade que corrói e te destroça em pedaços, mas sim aquela gostosa, de bons tempos vividos e que infelizmente não voltam mais... porque se voltassem, não seriam assim, tão perfeitos e melhores vividos do que os de hoje.
Estou para escrever sobre este sentimento que só tem definição em um único país deste globo há alguns dias, mas esperei o momento exato para postar junto com uma foto que carinhosamente revi pouco tempo antes de reencontrar as meninas da Mattel.

Apesar de ter marcado um compromisso para aquele dia, dei um jeitinho, pois pessoas importantes reunidas não é sempre que a gente consegue encontrar. Fiz uma surpresa a elas, pois a princípio falei que não podia comparecer.
Fiquei muito feliz ao ver o sorriso no rosto de surpresa e alegria ao me encontrarem.
Abraços sinceros me confortaram e preencheram meu coração de saudade de tempos tão gostosos que passei nesta empresa que não existe mais.

...Não, a Mattel não fechou operações aqui no Brasil! Digo que ela não existe mais, pois as empresas são feitas de pessoas.
O entrosamento, o trabalho em equipe, a cumplicidade e até mesmo os pepinos do dia-a-dia nos tornaram mais fortes para acreditar que fazemos parte de algo especial.
Sim, vendíamos sonhos e não brinquedos. E fazíamos isso brincando, rindo, nos divertindo e fazendo piadas, além de trabalhar com muito suor, varar madrugadas fazendo forecats e por aí vai.
Lá, aprendi a me portar como uma executiva, a lidar com os clientes, a perguntar, aprender, ensinar... cada um que passou por mim naquele lugar plantou sua sementinha.
Claro que alguns mais e outros menos, mas não tem jeito, todos tem até hoje seu lugarzinho especial aqui no meu coração e na minha carreira.

Há um tempo atrás estive numa entrevista e, depois de contar minha passagem pela Mattel, o entrevistador me perguntou: "Mas, por que você saiu de lá? Você fala da Mattel com uma paixão tão grande, é inspirador!".
Tem momentos que encontramos bifurcações em nossos caminhos, então temos que abraçar novas oportunidades.

Posto abaixo, o retrato daquela empresa vencedora, inspiradora, referência e que foi uma imensa escola para mim. Valeu, Monstros da Mattel!


Yes, we are the Champions!



quarta-feira, 25 de maio de 2011

Liberdade de Expressão

Desde o santo dia que eu criei este Blog fico pensando de que maneira que tornaria estes meus divagantes pensamentos em algo comercial.
Como tenho objetivo de um dia viver das minhas idéias escritas, pensei que este espaço serviria além de um ensaio, um portfólio.
Aquilo que inicialmente seria um rascunho para eu desenferrujar do meu jejum jornalista, transcendeu e se tornou algo especial e maior até do que eu esperava.
Muitas vezes, a inspiração vem lá de dentro e, quando percebo, o post já está publicado. Tem dias que evito passar por aqui, pois idéias me faltam à cabeça. Em compensação, tem outros que passo duas ou três vezes e sempre sai algo interessante.

Ontem na aula "cabeçuda" de psicanálise parei para pensar que, se eu mudar um detalhe que seja desde Blog, estarei indo contra meu eu. Por que negar algo tão bacana que até então não percebia seu real valor?

O mainstream não vive sem o underground, porém o underground não sobrevive sem o mainstream. O que fazer, então?

Sigo em busca inspiração certa, da Big Idea de criar um novo blog, site, jornal, revista ou sei lá o quê, com outro título, outra cara... este outro sim, bem comercial.
Esse aqui não deixa de ser meu companheiro para desabafos, pensamentos, protestos e outras coisas que passam na minha vida diariamente.

Continuarei, então assim. E ponto final.


(e para celebrar esta decisão, meu querido Lacan que me desculpe, mas declaro o óbito da aba "Pitadas de Psicanálise" que não desenvolvi mais que um post e a outra "Semiótica" que ainda estava no forno, acaba de sofrer um aborto prematuro.)

sábado, 21 de maio de 2011

O filme que eu adoro ver e rever

Meu namorado vive reclamando que gosto de filmes estilo pastelão.
Também gosto de filmes cabeça, aqueles europeus que te fazem refletir por, no mínimo, uns 3 dias seguidos. Um suspense também vem bem a calhar e deixa meus pés e mãos suando em bicas até desvendar a trama. Romances me deixam com o coração em chamas; dramas me abrem a mente para pensar em dilemas imperceptíveis da vida.

Se eu me empolgar e começar a listar os filmes que mais gostei, este post não terá mais fim. Na verdade, quero comentar uma bela e até meio antiga película, a qual todas as vezes que vi  passando, eu assisti do começo (ou meio) ao fim e me emocionei em todas.
Para acabar com o mistério, este filme ao qual me refiro é o famigerado "O Diabo Veste Prada".

Além da história de sucesso de Andrea ser muito emocionante, a qual me identifiquei em um milhão de cenas, o pano de fundo onde o filme acontece é de meu total interesse: a vida editorial da moda. A correria pelas pautas, o fechamento da revista, a escolha da peça ideal para brilhar no ensaio... sem contar nas peripécias diárias dos bastidores, caminhos tortuosos, pessoas as quais mais se identifica e outras que nem tanto, os cocktails, as festas fechadas... A chefa irritantemente admirável pela sua inteligência mas nem um pouco pela desastrosa vida pessoal.

É triste ver o distanciamento de Andrea dos amigos e namorado, além dos valores da protagonista temporariamente desmoronando por conta do glamour ter-lhe subido à cabeça. E o toque irritantíssimo de seu celular...
Em contrapartida, sua transformação de uma brucutu para uma mulher linda e fashion é de dar inveja a qualquer mulher que tenha pelo menos um pouco de vaidade.
Sem contar Paris... ah Paris... só quem já foi sabe do que eu to falando.

O desfecho é o melhor possível e só de ouvir "Suddenly I see" sinto o triunfo de Andrea correr em minhas veias, neste final prá lá de emocionante: a reconciliação com seu amor e a contratação no emprego de seus sonhos.

O melhor de tudo, é que trata-se de uma história verídica... Inspire-se e a recompensa virá em breve!




Looks incríveis by Patricia Field... Quero todos!

O melhor look do filme - Andrea em Paris (amei as luvinhas)

Essa cena daria uma análise semiótica e tanto

"That's all"

Cabelos em Grandíssimo Estilo

Dizem que quando uma mulher quer mudar o corte de cabelo é que ela está tomando uma atitude que mudará sua vida. Não só estética, mas sim mental. O exterior só reflete nas madeixas que queremos mudar. De verdade.

Para que o desespero não bata repentinamente à sua porta e você decida entrar na primeira Peluquería que brilhar à sua vista, aí vai a dica: Hair Retrô.

Um salão prá lá de inovador na decoração e no cuidado com os detalhes vintage para fazer jus ao seu nome. Guaranás, cafezinhos, cervejas (!!) e água são servidos juntamente com pirulitos em formato de coração e balas Dadinho.

Todos que trabalham ali, vestem-se à moda dos 50 e 60. Os móveis, cadeiras, penteadeiras, tudo inspira aquelas épocas áureas que (infelizmente) não vivemos.
Apesar de todo environment, fiquem tranquilas que o corte refletirá sua vontade!



   

Sono

Dormir é como desligar-se do mundo e conectar-se a uma matrix dificilmente decifrável.
Esquecer por alguns momentos nossos conflitos diários. Libertar-se dos pensamentos.Renovar as energias para encarar o dia seguinte que virá.
E, quando acordamos tudo se inicia novamente.

Counting Sheeps for an ordinary life


sábado, 14 de maio de 2011

Caminhos

Tortuosos ou não, são e sempre serão caminhos que trilharemos até o último de nossos dias.

Tem vezes que entramos em um túnel e que a saída nos parece longe. O farol mal consegue alcançar o que está 100m adiante e a neblina ainda contribui para este cenário. Barulhos mil ecoam para confundir ainda mais a cabeça e o coração. Pouco tempo depois, lá está. O sol brilha, a grama é verde e parece que aquele dia nunca mais terá fim. Tudo está tão pleno que por um breve momento, encontramos ao sentido da palavra perfeição.
Dali a poucos passos, surge uma bifurcação. Mas esta não é tão comum quanto às outras. Ao invés de seguir reto ou dobrar à direita, você encontra três, cinco opções. E aí a dúvida que nunca calará: "Qual deles é o certo?" ... "Qual é a escolha me fará mais feliz?"
Mais uma vez deparamos no maior paradigma da vida, a qual entitula esta página que estás lendo: atuamos ao vivo, sem possibilidade de corte de gravação, de edição, repetição ou qualquer truque que aperfeiçoe tal performance.
Os "e se.." marcarão presença em nossas mentes a qualquer momento virão à tona para nos deixar ainda mais confusos.
A solução?! Peito erguido, mente aberta e tranquila e olhar no futuro. Não acredito em destino, mas sim que nós construímos nosso próprio. E o que será o melhor para nós, cairá no nosso colo naquela hora mais improvável e inesperada, que estamos relaxados, com o pensamento longe e sem expectativa.


Caminhos no Outono de Montmartre - Paris 2008

domingo, 8 de maio de 2011

Meme by Me

Eu sou... Inteligente, ansiosa, insecisa, CDF, feliz, leal, romântica e sonhadora (um pouco diferente do "About me" do blog, mas em diferentes ocasiões a gente sempre lembra algo a mais...)

Eu quero ser... colunista. Escrevo bem desde pequena e a experiência a qual repeti por vários anos seguidos em ter minha redação publicada no livro de melhores redações da escola é o que me impulsiona. Um belo dia darei uma reviravolta na minha vida profissional para conduzi-la de uma forma atualmente inimaginável. 

Na minha casa... estou sempre grudada com o Du, que reclama toda vez que o sofá e a cama são enooormes e que eu to sempre colada nele!

Eu encano com... a minha franja colada na testa de uma forma bem oleosa no quando chega o final do dia (e olha que eu lavo meu cabelo  diariamente!!)

E acredito em... final feliz :)
 
Tenho medo de... morrer antes de conquistar meus objetivos.

Acho graça em... coisas tontas que me dão acesso de riso nos momentos mais improváveis.

Choro com... casamentos, filmes românticos e todas as baboseiras melosas que possam existir. Choro também com histórias tristes, que machucam meu coração.

Não vivo sem... minha família, meu amor, meus amigos.

Tenho mania de... cheirar meu próprio cabelo.

Meus 3 melhores amigos são... Du, minha irmã, Cris. (sem contar meus pais, né?!)

Eu tenho como heróis... meus pais. Foram caminhos tortuosos percorridos até chegarmos na felicidade plena que nos encontramos hoje.

Meu sex symbol... (sem contar o Du) pago um pau para o Gael García Bernal (pena que ele é nanico).

O amor é... incondicional, belo, puro, leal, o sentimento mais bonito que alguém possa experimentar.

Meu livro de cabeceira é... apesar do Freud, Lacan, Zygmut Baumann habitarem meu criado mudo nos últimos tempos por conta da pós, o unânime é o "A Insustentável Leveza do Ser" de Milan Kundera. Mas tem que ser exatamente aquele meu, comentado, escrito, grifado. Quem leu sabe do que eu estou falando.

Meu vinil preferido é... difícil pergunta. Amo Morcheeba, Chico Buarque, Radiohead, Keane, Moloko, Air, Smashing Pumpkins, Placebo, Maná, La Oreja de Van Gogh, Foo Fighters, School of Seven Bells, Phoenix, STP e por aí vai...

Meu sapato favorito é... além dos chinelos que adoro usar de final de semana, adoro o meu sapato da Castilho de couros coloridos que dão a impressão de ser uma asa. 

No meu armário não falta...  vestidos. Da Farm, de preferência.

Minha balada preferida... reunir os amigos, tomar umas cervejas e dar boas risadas.


Minha luta é...  diária para atingir meus sonhos.

Meu maior fora foi... sempre esquecer ou errar o nome de pessoas "X".

Minha bola dentro... não ter passado no vestibular de Direito e ter virado Publicitária.

As pessoas acham que... eu sou metida

Mas eu juro... que se elas me conhecerem um pouquinho, verão que estão enganadas.

O que eu mais ouço... que é para eu ter calma e ser menos ansiosa.

Rezo por/para... agradecer tudo o que tenho e por dias felizes que estão por vir.

Meu ponto fraco... não vou falar!

Meu grande charme... minhas pintas em cima da boca.

No chuveiro, eu canto... em silêncio meus pensamentos diários sobre as questões caóticas da vida.
De madrugada, eu... durmo!

Meu meio de transporte é... meus pés.

Eu tenho ilusão de... que um dia estarei beeem longe daqui.

Se alguém disser que eu serei presidente...  pularei fora rapidinho!