sábado, 19 de março de 2011

Confissões de uma ex-míope

Abri a janela e olhei para a paisagem de linhas retas com a maior precisão visual possível.
As antenas dos prédios que estão lá longe enxergo em alta definição.
Os objetos distantes não ficam mais borrados.
Os rostos das pessoas que passam a alguns metros de distância já consigo distinguir se me são familiares ou não, além de decifrar seu estado de humor por sua expressão facial que agora me é tão explícita.
Já consigo ler placas nas ruas, vejo até o número do cep que fica embaixo daquelas nas esquinas.
Não errarei mais os caminhos por não conseguir ler a tempo o que estava escrito.
Quando anoitece, não tenho mais aquela sensação de olho grudado que, toda vez que pisco, fico na dúvida se o conseguirei abrir novamente.
Quando acordo, não fico tateando as coisas próximas e meu dia não começa somente quando coloco as lentes às vezes com tamanha dificuldade pois meus olhos gritam e não as querem mais. Eu forço até conseguir, pois óculos não dá!
Em casa, não preciso mais usar aqueles óculos velhos e tortos, que me machucam do lado da cabeça quando deito no sofá para assistir televisão.
Não tenho mais aquela cara de secretária quando usava óculos. Haviam controvérsias, pois muitos me achavam intelectual. É que nessas horas, o que os outros pensam conta muito pouco, meu conforto e bem estar está em primeiro lugar.
Não preciso mais ficar pingando o Fresh Tears, vulgo "verdinho" no cinema, à noite, no escritório ao longo do dia por conta do frio ar condicionado, nem nunca mais para lubrificar aquele estilhaço que morava em meu olho diariamente.
Não preciso mais acordar no meio do meu cochilo para tirar a lente para não ter problemas com ela ao acordar no dia seguinte.
Ai de mim se eu as perdesse ou as rasgasse em alguma viagem... estaria condenada aos óculos até o final dela!
Fora a neurose de ter alguém do lado com conjuntivite, ou simplesmente com os olhos vermelhos... não podia ficar perto nem um segundo para não correr o risco de pegar alguma doença nos olhos e ficar de óculos por umas boas semanas...
Depois daquela rápida cirurgia, 3 dias no escuro, de óculos escuros (praticamente vivendo como os vampiros) e 1 semana com o que eles chamam de "vista flutuante", sou uma pessoa realizada e muito mais feliz.
Sou extremamente visual e valeu a pena o investimento para reforçar este dom tão precioso que não consigo entender como algumas pessoas conseguem sobreviver sem ele.

Registros passados da minha condição míope posando na King Size do Radisson - Montevideo

Nenhum comentário:

Postar um comentário